"Não ande atrás de mim, talvez eu não saiba liderar. Não ande na minha frente, talvez eu não queira seguí-lo. Ande ao meu lado, para podermos caminhar juntos."

As mulheres não são homens

No passado dia 8 de março celebrou-se o Dia Internacional da Mulher. Os dias ou anos internacionais não são, em geral, celebrações. São, pelo contrário, modos de assinalar que há pouco para celebrar e muito para denunciar e transformar. Não há natureza humana assexuada; há homens e mulheres. Falar de natureza humana sem falar na diferença sexual é ocultar que a “metade” das mulheres vale menos que a dos homens. Sob formas que variam consoante o tempo e o lugar, as mulheres têm sido consideradas como seres cuja humanidade é problemática (mais perigosa ou menos capaz) quando comparada com a dos homens. À dominação sexual que este preconceito gera chamamos patriarcado e ao senso comum que o alimenta e reproduz, cultura patriarcal.

A persistência histórica desta cultura é tão forte que mesmo nas regiões do mundo em que ela foi oficialmente superada pela consagração constitucional da igualdade sexual, as práticas quotidianas das instituições e das relações sociais continuam a reproduzir o preconceito e a desigualdade. Ser feminista hoje significa reconhecer que tal discriminação existe e é injusta e desejar ativamente que ela seja eliminada. Nas atuais condições históricas, falar de natureza humana como se ela fosse sexualmente indiferente, seja no plano filosófico seja no plano político, é pactuar com o patriarcado.

A cultura patriarcal vem de longe e atravessa tanto a cultura ocidental como as culturas africanas, indígenas e islâmicas. Para Aristóteles, a mulher é um homem mutilado e para São Tomás de Aquino, sendo o homem o elemento ativo da procriação, o nascimento de uma mulher é sinal da debilidade do procriador. Esta cultura, ancorada por vezes em textos sagrados (Bíblia e Corão), tem estado sempre ao serviço da economia política dominante que, nos tempos modernos, tem sido o capitalismo e o colonialismo. Em Three Guineas (1938), em resposta a um pedido de apoio financeiro para o esforço de guerra, Virginia Woolf recusa, lembrando a secundarização das mulheres na nação, e afirma provocatoriamente: “Como mulher, não tenho país. Como mulher, não quero ter país. Como mulher, o meu país é o mundo inteiro”.

Durante a ditadura portuguesa, as Novas Cartas Portuguesas publicadas em 1972 por Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa, denunciavam o patriarcado como parte da estrutura fascista que sustentava a guerra colonial em África. “Angola é nossa” era o correlato de “as mulheres são nossas (de nós, homens)” e no sexo delas se defendia a honra deles. O livro foi imediatamente apreendido porque  justamente percebido como um libelo contra a guerra colonial e as autoras só não foram julgadas porque, entretanto ocorreu a Revolução dos Cravos em 25 de Abril de 1974.

A violência que a opressão sexual implica ocorre sob duas formas, hardcore e softcore. A versão hardcore é o catálogo da vergonha e do horror do mundo. Em Portugal, morreram 43 mulheres em 2010, vítimas de violência doméstica. Na Cidade Juarez (México) foram assassinadas nos últimos anos 427 mulheres, todas jovens e pobres, trabalhadoras nas fábricas do capitalismo selvagem, as maquiladoras, um crime organizado hoje conhecido por femicídio. Em vários países de África, continua a praticar-se a mutilação genital. Na Arábia Saudita, até há pouco, as mulheres nem sequer tinham certificado de nascimento. No Irão, a vida de uma mulher vale metade da do homem num acidente de viação; em tribunal, o testemunho de um homem vale tanto quanto o de duas mulheres; a mulher pode ser apedrejada até à morte em caso de adultério, prática, aliás, proibida na maioria dos países de cultura islâmica.

A versão softcore é insidiosa e silenciosa e ocorre no seio das famílias, instituições e comunidades, não porque as mulheres sejam inferiores mas, pelo contrário, porque são consideradas superiores no seu espírito de abnegação e na sua disponibilidade para ajudar em tempos difíceis. Porque é uma disposição natural, não há sequer que lhes perguntar se aceitam os encargos ou sob que condições. Em Portugal, por exemplo, os cortes nas despesas sociais do Estado atualmente em curso vitimizam em particular as mulheres. As mulheres são as principais provedoras do cuidado a dependentes (crianças, velhos, doentes, pessoas com deficiência). Se, com o encerramento dos hospitais psiquiátricos, os doentes mentais são devolvidos às famílias, o cuidado fica a cargo das mulheres. A impossibilidade de conciliar o trabalho remunerado com o trabalho doméstico faz com que Portugal tenha um dos valores mais baixos de fecundidade do mundo. Cuidar dos vivos torna-se incompatível com desejar mais vivos.

Mas a cultura patriarcal tem, em certos contextos, uma outra dimensão particularmente perversa: a de criar a idéia na opinião pública que as mulheres são oprimidas e, como tal, vítimas indefesas e silenciosas.

Este estereótipo torna possível ignorar ou desvalorizar as lutas de resistência e a capacidade de inovação política das mulheres. É assim que se ignora o papel fundamental das mulheres na revolução do Egito ou na luta contra a pilhagem da terra na Índia; a ação política das mulheres que lideram os municípios em tantas pequenas cidades africanas e a sua luta contra o machismo dos lideres partidários que bloqueiam o acesso das mulheres ao poder político nacional; a luta incessante e cheia de riscos pela punição dos criminosos levada a cabo pelas mães das jovens assassinadas em Cidade Juarez; as conquistas das mulheres indígenas e islâmicas na luta pela igualdade e pelo respeito da diferença, transformando por dentro as culturas a que pertencem; as práticas inovadoras de defesa da agricultura familiar e das sementes tradicionais das mulheres do Quênia e de tantos outros países de África; a resposta das mulheres palestinianas quando perguntadas por auto-convencidas feministas européias sobre o uso de contraceptivos: “na Palestina, ter filhos é lutar contra a limpeza étnica que Israel impõe ao nosso povo”.

*Boaventura de Sousa Santos é sociólogo e professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (Portugal). 10/03/2011

Anúncios

Comentários em: "As mulheres não são homens" (27)

  1. This particular post had been really properly composed, and it likewise includes many beneficial information. I loved the expert way with words this post. You have made that super easy to understand.

  2. Your site has been pointed out during my community forum as a recommended studying. Im glad I went by to find out this.

  3. Cool publish ! Many thanks for, publishing on my small webpage man! I am going to concept you some time. I didn’t appreciate in which.

  4. In the event you might message me together with virtually any suggestions regarding how you have made this website web site appear this excellent, I’d personally have fun here.

  5. This kind of submit was very properly composed, you’ll take pride in includes many helpful details. We appreciated the expert way with words this submit. You have made it quite simple to realize.

  6. Very nice post. I just stumbled upon your weblog and wished to say that I have truly enjoyed surfing around your weblog posts. After all I’ll be subscribing for your feed and I’m hoping you write again soon!

  7. If you could information me with any kind of suggestions how you made your blog web site look this particular great, I would have fun here.

  8. Your blog continues to be talked about within my forum as being a advised reading. I’m glad We passed by to determine it.

  9. Hello there : I must say, I’m pleased with the website. I had no trouble directing through each of the tabs and knowledge was a breeze to access. I stumbled upon things i desired right away whatsoever. Fairly great. Would certainly be thankful should you increase community forums something like that, it will be an ideal way for your customers to have interaction. Best wishes!

  10. Thank you for taking this probability to talk about this, I’m strongly about this kind of and that i appreciate learning about this particular topic. If you can, as you gain details, you should complement this website along with new info. My partner and i have realized it really helpful.

  11. I just want to tell you that I am beginner to blogging and site-building and absolutely savored this blog site. More than likely I’m planning to bookmark your blog . You surely come with excellent writings. Thank you for sharing your web-site.

  12. I just want to say I am just all new to blogs and certainly liked your web page. Very likely I’m want to bookmark your blog post . You actually come with wonderful article content. Appreciate it for sharing your webpage.

  13. There is apparently a lot to identify about this. I consider you made various nice points in features also.

  14. The next time I read a weblog, I hope that it doesnt disappoint me as a lot as this one. I mean, I do know it was my choice to read, however I actually thought youd have one thing interesting to say. All I hear is a bunch of whining about one thing that you would repair in the event you werent too busy searching for attention.

  15. Youre so cool! I dont suppose Ive read anything like this before. So nice to find anyone with some unique thoughts on this subject. realy thank you for starting this up. this web site is one thing that is needed on the web, someone with slightly originality. useful job for bringing something new to the internet!

  16. An impressive share, I simply given this onto a colleague who was doing a bit evaluation on this. And he actually bought me breakfast as a result of I discovered it for him.. smile. So let me reword that: Thnx for the treat! But yeah Thnkx for spending the time to discuss this, I feel strongly about it and love reading extra on this topic. If potential, as you turn out to be experience, would you mind updating your blog with more particulars? It is extremely helpful for me. Massive thumb up for this weblog publish!

  17. Its like you read my mind! You seem to know a lot about this, like you wrote the book in it or something. I think that you could do with a few pics to drive the message home a little bit, but instead of that, this is fantastic blog. A great read. I’ll certainly be back.

  18. I have been reading out some of your posts and i can state nice stuff. I will definitely bookmark your website.

  19. You completed a number of nice points there. I did a search on the issue and found the majority of persons will go along with with your blog.

  20. Thank you very considerably for writing this post. I enjoyed it.

  21. I genuinely handle about my pet , I conceive this internet site will help me come across out whats great for them, so I book-marked .

  22. Definitely believe that which you stated. Your favorite justification seemed to be on the net the easiest thing to be aware of. I say to you, I definitely get irked while people consider worries that they just don’t know about. You managed to hit the nail upon the top and also defined out the whole thing without having side-effects , people could take a signal. Will probably be back to get more. Thanks

  23. Thank you for the good writeup. It in fact was a amusement account it. Look advanced to far added agreeable from you! However, how could we communicate?

  24. Hello There. I found your blog using msn. This is an extremely well written article. I will be sure to bookmark it and come back to read more of your useful information. Thanks for the post. I’ll definitely return.

  25. I keep listening to the news bulletin speak about getting boundless online grant applications so I have been looking around for the finest site to get one. Could you advise me please, where could i find some?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: